Arte da Simulação

A simulação permite o treinamento em cenários idênticos às situações encontradas na vida real.

Com o pleno controle das variáveis envolvidas, o instrutor enfatiza e corrige a prática de tópicos inacessíveis por outros métodos de instrução.

A simulação possibilita a pesquisa, treinamento e avaliação de desempenho, sem risco para o paciente.

Muitos cenários críticos podem ser criados, exigindo dos alunos respostas rápidas e eficientes, oferecendo adicionalmente aos participantes a visualização em tempo real dos resultados de suas decisões e ações frente ao paciente. A monitoração dos atendimentos permite a instrutores e alunos rever a conduta e avaliar os erros cometidos durante o treinamento.

É possível a repetição exata de um mesmo cenário quantas vezes forem necessárias, favorecendo o treinamento em equipe e facilitando o aprendizado das técnicas pertinentes ao caso.

Com manequins simuladores, os profissionais podem usar seus equipamentos reais, adequados ao corpo humano.

Na simulação, os participantes superam a descrença inicial do cenário e sentem o mesmo estresse e o senso de urgência que sofrem ao cuidar de um paciente real.

Uma grande questão
Nos Estados Unidos, um relatório do Instituto de Medicina revelou que 100.000 americanos morrem por ano em razão de erros no atendimento de emergência que poderiam ser evitados. Um grande debate foi iniciado a partir desses dados, mobilizando médicos, pacientes e autoridades, em nível mundial, em busca de soluções para o problema. Sabemos que milhares de pessoas morrem por ano em razão de erros no atendimento de emergência. O treinamento por simulação veio solucionar, com eficiência, a dificuldade de prática em situações reais, nos setores onde o risco e o alto custo impediam o treinamento prático adequado para o problema.

Uma parte importante da solução

A aviação constitui na atualidade o principal modelo para a utilização bem sucedida do treinamento por simulação.
Os simuladores de vôo trazem ganhos incomparáveis na formação e treinamento continuado nessa área, com o desenvolvimento das habilidades específicas necessárias para executar desde as manobras de rotina até aquelas vitais para as situações de emergência. Com os simuladores, os pilotos podem repetir inúmeras vezes procedimentos de risco que, de outro modo, sequer teriam a possibilidade de praticar.

A tecnologia da simulação tem obtido igual sucesso no treinamento de outros setores profissionais.

Na área médica, especialmente nos setores que lidam com situações críticas, essa tecnologia cria um novo paradigma de treinamento: seguro, eficiente e ético.